segunda-feira, 2 de abril de 2012

Alvinegros causam tumulto em frente aos vestiários de árbitros após derrota


Tumulto na saída do Estádio Amigão, depois do Clássico dos Maiorais (Foto: Silas Batista)Árbitros ouviram xingamentos e chutes na porta do
vestiário (Foto: Silas Batista)
Inconformados com a atuação do trio de arbitragem que atuou no Clássico dos Maiorais, o presidente do Treze, Fábio Azevedo, e o diretor jurídico do clube, Válber Maxwell, foram até o vestiário destinado aos árbitros no Estádio Amigão para questionar a atuação destes na partida contra o Campinense (vencida pela Raposa por 2 a 1). Em meio a eles, um pequeno grupo de pessoas vestidas com camisa do Treze - não se sabe se torcedores ou outros integrantes da diretoria trezeana.
Durante o pequeno tumulto causado pelas reclamações dos dirigentes, vários chutes foram dados na porta do vestiário e xingamentos foram proferidos contra os árbitros. O trio de arbitragem, no entanto, não soube apontar quem teriam sido os autores das agressões, se integrantes da diretoria trezeana ou se os supostos torcedores.
O trio de arbitragem, composto por Adalberto Moésia, que foi o árbitro principal, e por Audo Silva e Michelson Nóbrega (assistentes), classificou a atitude como tendo sido um ato de vandalismo. Segundo o trio, eles só não apanharam porque permaneceram em silêncio no momento das agressões verbais.
Após as afirmações do trio de arbitragem, o diretor jurídico do Treze, Walber Maxwell, usou sua conta pessoa no microblog Twitter para negar as acusações externadas pelos árbitros.
- Isso também não é verdade - escreveu o dirigente trezeano ao se referir ao episódio.
Além do tumulto nos vestiários, o pós-jogo da partida entre Campinense e Treze foi marcado por diversas confusões. No estacionamento do estádio, jogadores dos dois times trocaram socos e chutes ao mesmo tempo em que membros das duas torcidas se confrontavam na área externa.

G1

Nenhum comentário: