sexta-feira, 27 de abril de 2012

Paysandu é goleado e dificulta classificação na Copa do Brasil

Paysandu perde de 4 a 1 para o Coritiba (Foto: Reprodução / Diário do Pará)
(Foto: Reprodução / Diário do Pará)

O Paysandu não foi, nem de longe, a equipe vibrante, rápida e entrosada que atropelou o Sport (PE), em Recife, pela partida de volta da segunda fase da Copa do Brasil. Dessa vez, foi facilmente batido pela equipe do Coritiba (PR), 4x1, no Couto Pereira. Agora, ficou difícil. O Papão precisa vencer por 3 a 0 na próxima semana, no Mangueirão, para passar de fase. Se sofrer gol, o bicola precisa vencer por quatro tentos de vantagem. Se o placar terminar 4 a 1 favorável ao Papão, a partida vai para os pênaltis.
No primeiro tempo, o Coxa dominou as ações do jogo, segurando a bola, tocando de lado e tentando chegar à linha de fundo para alçar a bola na área. E, sem dificuldades, o alviverde curitibano chegou aos 2 a 0. Aos 31, Anderson Aquino, com muita categoria, acertou o ângulo direito do goleiro bicolor Paulo Rafael. No minuto seguinte, o Coxa aproveitou a bobeada bicolor na saída do meio campo e o atacante Roberto recebeu a bola livre, invadiu a área e tocou por cima de Paulo Rafael. Desperado, o Paysandu saiu ao ataque e acabou cedendo o terceiro gol para o adversário já aos 42 minutos, com Everton Ribeiro em contra-ataque.

Para a etapa complementar, o técnico Lecheva tirou o meia Kariri e colocou o experiente Harrison, que deu maior tranquilidade ao meio campo bicolor, segurando a bola e armando as jogadas. O Paysandu acordou para a partida e passou a pressionar, criando oportunidades e amadurecendo o primeiro gol. E ele chegou aos 21 minutos. Depois de um contra-ataque bicolor, Thiago Potiguar pegou o rebote do goleiro Vanderlei e fuzilou para o fundo do barbante. O Coritiba ainda teve a oportunidade de ampliar a vantagem com Roberto, de pênalti, mas Paulo Rafael fez excelente defesa colocando a bola para a linha de fundo. Só que, aos 46 minutos, em um contra-ataque, o goleiro Paulo Rafael sai nas pernas de Rafael Silva e fez pênalti, sendo expulso. Com o meio campista Harrison no gol, Tcheco foi para a cobrança e sacramentou a vitória curitibana. 4x1.

A esperança existe? Lecheva não jogou a toalha!

Principalmente no primeiro tempo, o Paysandu foi uma equipe desorganizada, sendo facilmente dominada pelo Coritiba (PR). Com a atuação de vários atletas abaixo da média, o Papão perdeu as ações no meio campo, sobretudo por duas situações: o volante Vanderson, sem ritmo de jogo, por ter ficado mais de 20 dias sem atuar oficialmente, e o meia Kariri, que pela terceira vez consecutiva começou uma partida e não rendeu o esperado.

A melhora veio no segundo tempo, com a entrada de Harrison, que organizou um pouco a equipe e deu melhor saída de bola para o Papão. Mas, isso teve a contribuição da equipe curitibana, que recuou bastante e tentou explorar os contra-ataques. O gol bicolor, aos 21 minutos da etapa complementar deu uma sobrevida ao Paysandu na partida. O time de Lecheva criou inúmeras oportunidades, mas não conseguiu concluí-las de forma eficiente.

Atento à atuação melhor do rival, o técnico alviverde Marcelo Oliveira mexeu bem, colocando o meia Sergio Manoel e o atacante Rafael Silva. Silva, aliás, foi o principal atleta do Coritiba na segunda etapa sofrendo dois pênaltis, o primeiro desperdiçado por Roberto e o segundo convertido pelo meia Tcheco.
Pelo contexto da partida, o técnico bicolor Lecheva saiu de campo extremamente chateado com o gol sofrido no final da partida. No entanto, a análise também envolveu o péssimo primeiro tempo. “Não tem explicação. Mas acredito que jogando em Belém, com o apoio de nossa torcida, temos a condição devolver o placar. Eu acredito, o torcedor também tem que acreditar”, observa. Lecheva considera que a arbitragem contribuiu para a boa vantagem construída pelos donos da casa. “Ele apitou da forma dele, com regras que ele condicionou. Não marcou várias faltas em nossos jogadores, o que armou contra-ataques para eles. Mas agora é ir para Belém e fazer a nossa parte lá”, completou.

Incrível. Eles também acreditaram...

A goleada do Coritiba praticamente eliminou as chances de o Paysandu chegar à próxima fase. Mas os jogadores bicolores saíram de campo acreditando que jogando em Belém, diante do torcedor, o Papão tem condições de devolver o placar e se classificar.

“Ruim, né? Mas dá para devolver o placar lá em Belém com a força da torcida. Eu já vi muita coisa no futebol e temos chances de fazer o placar, principalmente pelo segundo tempo que a equipe demostrou, perdendo vários gols cara a cara com o goleiro”, analisou Harrison, um dos melhores do Papão na partida.
Adriano Magrão, que cabeceou uma excelente bola aos 42 minutos do segundo tempo, mas o goleiro alviverde Vanderlei realizou excelente defesa, evitando o segundo gol bicolor, também saiu de campo acreditando na possibilidade de o Papão golear o Coritiba, em Belém. “Está difícil, mas se eles fizeram aqui a gente pode fazer lá”, concluiu.

O Paysandu recebe o Coritiba na próxima quinta-feira, dia 3, no estádio Mangueirão, com a difícil tarefa de ter que marcar três gols para se classificar. Se serve de inspiração, é interessante lembrar que a equipe conseguiu fazer cinco gols contra o Sport Recife. Porém, agora, há a necessidade de reação, caso contrário, o primeiro semestre estará perdido. (Diário do Pará)

Nenhum comentário: