quinta-feira, 5 de abril de 2012

Paysandu quebra tabu de 51 anos e vence Sport



ANTONIO CICERO
Após jogo bastante disputado no Pará, Paysandu vem a Recife com a vantagem do empate

Numa noite em que sua defesa bateu cabeça e o ataque demorou para começar a funcionar, o Sport viu cair um tabu de 51 anos. No jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil, o Leão perdeu por 2 a 1 para o Paysandu, no Mangueirão. Resultado que poderia ter sido muito pior, não fosse a grande partida de Magrão. Na próxima quarta-feira, os adversários voltam a se enfrentar. Desta vez, na Ilha do Retiro.

Mesmo armado com três zagueiros e um jogador na cabeça de área, o sistema defensivo do Sport deu sinais de que não merecia muita confiança logo no início do confronto. Ainda aos dois minutos, o atacante Rafael Oliveira recebeu a bola com liberdade e teve tempo para dominar, antes de mandar um belo chute no travessão. Pra piorar, os rubro-negros tinham muita dificuldade para trabalhar a bola no campo do Papão.

E o Leão pagou caro pelas falhas. Em novo apagão da zaga, o Paysandu trocou passes próximo à área leonina, até que a bola chegou nos pés de Pikachu. Na marca do pênalti, o lateral direito mandou uma bomba, que desviou em Tobi, antes de vencer Magrão. Apesar de o ímpeto paraense ter diminuído após o gol, a ineficiêcia rubro-negra continuou. Em lances pontuais, o Papão chegou com perigo, sempre com muita liberdade para trabalhar a bola na intermediária pernambucana.

As chances do Sport limitavam-se a chutes de fora da área. Nenhuma delas, porém, chegou a assustar o goleiro Paulo Rafael. Os rubro-negros só chegaram com perigo aos 31 minutos, num lance em que Moacir arrancou até a linha de fundo e cruzou no primeiro pau. Jael se antecipou à marcação mas chutou fraco. O Leão, porém, chegou ao empate aos 46 da etapa inicial. Moacir puxou o ataque pela direita, se livrou de dois marcadores e tocou para Jael. O atacante limpou o adversário com um toque e bateu rasteiro, de dentro da meia-lua, mandando a bola para o fundo do gol do Papão.

Apesar das falhas de sua equipe, o técnico Mazola Júnior optou por não mexer na formação durante o intervalo. E a zaga rubro-negra seguiu batendo cabeça. Na primeira boa investida do Paysandu, Tobi errou na cobertura, e quando tentou se recuperar no lance, o árbitro Wilson Luiz Seneme marcou um pênalti duvidoso. Pikachu bateu no canto direito de Magrão, que praticou uma grande defesa. Minutos depois, porém, o goleiro não conseguiu salvar o Sport depois de mais uma lambança da zaga. Depois de cobrança de escanteio no segundo pau, Adriano Magrão subiu sozinho e cabeceou com força, colocando o Papão em vantagem novamente.

Para tentar mudar o cenário do jogo, o técnico Mazola Júnior fez uma mudança inesperada: o atacante Jheimy entrou na vaga de Marcelinho Paraíba, que mostrou surpresa antes de sair de campo. Ofensivamente, o time até cresceu, mas por pouco o Paysandu não ampliou a vantagem em contra-ataques.


PaysanduPaulo Rafael; Yago Pikachu, Douglas, Thiago Costa e Braian (Pablo); Neto (Da Silva), Billy, Kariri (Robinho) e Tiago Potiguar; Rafael Oliveira e Adriano Magrão. Técnico: Lecheva.

Sport
Magrão; Tobi, Ailson e Edcarlos; Moacir, Diogo Oliveira (Naldinho), Rivaldo, Willians, Marcelinho Paraíba (Jheimy) e Marquinhos Gabriel (Marquinhos Paraná); Jael. Técnico: Mazola Júnior.

Local: Mangueirão (Belém). Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP). Assistentes: João Nobre Chaves (SP) e Carolina Romanholi Melo (CE). Gols: Pikachu, Adriano Magrão (P), Jael (S). Cartões amarelos: Adriano Magrão, Billy (P) Marquinhos Paraná e Ailson (S).

Celso Ishigami - Diario de Pernambuco

Nenhum comentário: