terça-feira, 10 de abril de 2012

PITUAÇU É O PRIMEIRO ESTÁDIO DO BRASIL COM ENERGIA SOLAR



O estádio Governador Roberto Santos, mais conhecido como Estádio de Pituaçu, em Salvador (BA), candidato a Centro de Treinamento da Copa do Mundo 2014, é o primeiro do Brasil e da América Latina a gerar energia a partir do sol. O sistema solar fotovoltaico foi inaugurado nesta terça-feira (10/4).

Realizado pela Coelba (Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia), distribuidora do Grupo Neoenergia, em parceria com o Governo do Estado da Bahia, apoio técnico da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC e, apoio do Instituto IDEAL, o projeto Pituaçu Solar custou R$ 5,5 milhões, sendo R$ 3,8 milhões investidos pela Coelba e R$ 1,7 milhão pelo Governo do Estado da Bahia.

A energia gerada em Pituaçu será usada durante o dia nas instalações do estádio e a produção excedente será lançada na rede da Coelba. Na prática, o sistema solar fotovoltaico do estádio tem capacidade para gerar 400 kWp (quilowatts-pico - medida específica de potência para geração fotovoltaica), o que proporcionará uma geração anual de energia elétrica estimada em 630 MWh (megawatts-hora).

Como o consumo médio anual de energia do estádio é de 360 MWh, o excedente de energia gerado em Pituaçu, ou seja, 270 MWh/ano, será compensado do consumo de energia elétrica da sede da Secretaria Estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), localizada no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

A instalação do novo sistema irá proporcionar uma economia de cerca de R$ 120 mil por ano ao governo da Bahia.

Tecnologia – No projeto, foram utilizados dois tipos de módulos fotovoltaicos em cerca de 5,5 mil m2 de área. Sobre as coberturas metálicas, foram utilizados painéis flexíveis de silício amorfo, especialmente escolhidos por serem mais leves e representarem uma carga suportável para a estrutura pré-existente. Já nas áreas do estacionamento, da subestação leste e dos vestiários, foram utilizados módulos de silício monocristalino. Os painéis solares são formados por células fotovoltaicas de silício dopado que convertem a luz diretamente em energia elétrica através do efeito fotovoltaico.

Além da economia de energia através do sistema solar fotovoltaico, a Coelba também está trocando todos os projetores do Estádio de Pituaçu por equipamentos de design mais apropriados à aplicação em estádios abertos, com ótica de precisão e alta tecnologia. Serão aplicados projetores com quatro distintos ângulos de abertura, dispostos de forma eficiente para melhoria do rendimento do fluxo luminoso. Para isso, a Coelba vai investir cerca de R$ 845 mil e a economia de energia elétrica será de 73 MWh/ano.

Nenhum comentário: