quarta-feira, 25 de julho de 2012

Em noite de Magrão, Sport consegue pontinho em Campinas



DENNY CESARE/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/AE
Sport errou muitos passes, mas empate fora de casa tranquilizou elenco

Em um novo jogo de substituições confusas e apagões de seu sistema defensivo, o Sport precisou contar com Magrão para voltar de Campinas com um grande resultado. Com defesas incríveis, o paredão rubro-negro parou os atacantes da Ponte Preta e garantiu o 1 a 1. O próximo compromisso do Leão é com o Atlético-GO.

As três mudanças realizadas por Mancini não surtiram o efeito esperado. Logo aos cinco minutos, o atacante Rildo mostrou que o técnico Gilson Kleina acertou ao escolhê-lo para substituir Roger, vetado em cima da hora por conta de uma lesão muscular. Numa bela arrancada, ele teve facilidade de penetrar o setor direito da zaga leonina e cruzou rasteiro, de letra, em direção ao primeiro pau. A frágil zaga leonina vacilou mais uma vez, permitindo que André Luís escorasse o passe, abrindo o placar para a Ponte Preta.

O gol atordoou os rubro-negros, que não conseguiam reagir e seguiam pressionados em sua intermediária. A Ponte seguiu assustando em investidas rápidas, sempre pelo lado direito. Mas quando qualquer reação parecia improvável, o Sport chegou ao empate aos 21 minutos, em um raro momento de lucidez. Numa boa jogada iniciada com Cicinho, Willians fez o pivô na entrada da grande área e tocou curto para Marquinhos Gabriel, que acertou uma bomba no ângulo direito de Edson Bastos.

A partir daí, os rubro-negros conseguiram equilibrar as ações no meio de campo, mas ainda assim, a defesa seguia transmitindo insegurança em alguns momentos. Por isso, Mancini resolveu dar mais consistência ao setor, promovendo a entrada de Moacir na vaga de Willians. Pouco depois, entretanto, o comandante leonino voltou a fazer uma mudança surpreendente, colocando Magno Alves na vaga de Cicinho. E o jogo virou novamente. Com o meio de campo exposto, o Sport voltou a ser alvo da blitz ponte-pretana.

Numa dura sequência de contra-ataques, Magrão mostrou o motivo pelo qual conquistou o status de ídolo da torcida. Primeiro, o paredão parou uma forte cabeçada de Rildo. Depois, fechou o ângulo de Marcinho - que entrou cara a cara - e no rebote, voltou a parar Rildo.


Ponte Preta
Edson Bastos; Gerônimo, Tiago Alves, Ferron e João Paulo; Baraka, Renê Júnior, Ricardinho (Marcinho) e Nikão (Caio); André Luís (Enrico) e Rildo. Técnico: Gilson Kleina,

Sport
Magrão; Cicinho (Magno Alves), Bruno Aguiar, Ailson e Reinaldo; Tobi, Rivaldo, Willians (Moacir), Felipe Azevedo e Marquinhos Gabriel (Felipe Menezes); Gilberto. Técnico: Vágner Mancini.

Local: Moisés Lucarelli (Campinas).
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR).
Assistentes: Tatiana Jaques de Freitas (Fifa-RS) e Guilherme Dias Camilo (Asp Fifa-MG).
Gols: André Luís (P) e Marquinhos Gabriel (S).
Cartões amarelos: Ferron (P), Rivaldo, Willians, Tobi e Bruno Aguiar (S)

Celso Ishigami - Diario de Pernambuco

Nenhum comentário: