domingo, 29 de julho de 2012

Lusa ganha do Náutico com avenida do lado esquerdo


Tomando três gols de bolas alçadas na área, o Náutico chegou a sua terceira derrota consecutiva na Série A. Depois de começar o jogo vencendo a Portuguesa com um golaço de Kieza, a equipe recuou e permitiu o empate da Lusa no primeiro tempo e a virada na etapa complementar. O 3 a 1 deste domingo, no Canindé colocou ponto final a um jejum de seis rodadas da Portuguesa, que não vencia desde o dia 23 de junho.

Com a derrota, o Timbu agora é o time que tem mais derrotas na competição (oito, ao lado do Atlético-GO) e o que possui a pior defesa ao lado do Coritiba (sofreu 27 gols). Sem somar pontos na rodada, o Náutico agora é o 14° colocado, com 13 pontos - um a mais que o Bahia, equipe que abre a zona de rebaixamento. No próximo domingo, o Náutico enfrentará o Santos, nos Aflitos, com desfalques de Ronaldo Alves e Rhayner (terceiro amarelo) e do goleiro Felipe (por questões contratuais).

Apesar de movimentada, primeira etapa passou longe de apresentar um bom nível técnico. Quando Kieza avançou pela esquerda, deu um drible seco no adversário e soltou uma bomba na diagonal e acertou o ânglulo esquerdo de Dida, marcando um lindo gol aos nove minutos, a tendência era que a vantagem pudesse ter dado mais tranquilidade ao Timbu e um ritmo mais eletrizante à partida. Não foi isso que aconteceu. Por alguns minutos, o Náutico chegou tocar a bola com tranquilidade e até a esboçar um (falso) domínio da partida.

Aos poucos, o Náutico foi recuando. A Lusa passou a trocar passes no campo de ataque, mas, bem postada, a defesa alvirrubra fazia um bom bloqueio. Só que aos 31, a Lusa armou um contra-ataque fulminante contando com um erro coletivo do Timbu do ataque à defesa. Moisés roubou a bola do Náutico no meio de campo, lançou Luis Ricardo pela direita. O lateral cruza rasteiro e o mesmo Moisés apenas escorou para as redes. Após o gol, foi a Lusa que passou a tomar as ações da partida. Marcando a saída de bola, os alvirrubros não conseguiam sair da defesa. Apesar disso, as duas equipes pouco arriscavam se lançar com tudo ao ataque.

Sentindo o time preso na marcação, o técnico Alexandre Gallo resolveu mexer no time. Trocou um lateral por outro: saiu Lúcio e entrou João Palo. A mudança alterou no Timbu. Disperso na marcação, a equipe sofreu a virada aos 12 minutos. Moisés enfiou a bola para Luis Ricardo na ponta direita. O lateral novamente mandou na medida e dessa vez o baixinho Ananias (de 1,68 metro) mandou para o gol de cabeça no meio da zaga alvirrubra. Atrás no placar, Gallo resolveu mandar o time para o ataque de vez, colocando Breitner e Rico nas vagas de Elicarlos e Cléverson.

A mudança melhorou o Náutico. Aos 26, um pênalti não marcado. Rhayner cruzou Gustavo cortou com a mão. O juiz deixou passar. Quando parecia que o Timbu iria evoluir no jogo em busca do empate, aos 31 Léo Silva recebeu bom um passe pela na ponta direita cruzou na medida para Diego Viana, que mandou de cabeça novamente para o gol, no meio da indecisa zaga alvirrubra. 

Ficha do jogo

Portuguesa 3
Dida; Luís Ricardo, Gustavo, Valdomiro e Marcelo Cordeiro; Ferdinando, Léo Silva, Moisés e Ananias (Diego Viana); Héverton (Rogério) e Ricardo Jesus (Boquita).
Técnico: Geninho.

Náutico 1Felipe; Rhayner, Marlon, Ronaldo Alves e Lúcio (João Paulo); Elicarlos (Breitner), Martinez, Souza e Cléverson (Rico); Kieza e Araújo.
Técnico: Alexandre Gallo.

Local: Canindé, em São Paulo. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ). Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés e Rodrigo Pereira Joia (ambos do RJ). Gols: Moisés, Ananias e Diego Viana (P); Kieza (N). Cartões amarelos: Valdomiro e Gustavo (P); Rhayner e Ronaldo Alves (N).

Daniel Leal - Diario de Pernambuco

Nenhum comentário: