domingo, 29 de julho de 2012

Sport decepciona torcida e empata na Ilha



Helder Tavares /DP/D.A Press

O Sport não conseguiu cumprir a obrigação. Pressionado pela sequência de maus desempenhos, os rubro-negros receberam o Atlético-GO, mas apesar das mudanças feitas pelo técnico Vágner Mancini, o time não conseguiu ter consistência e foi ineficiente, mesmo diante de um adversário frágil. O 0 a 0 em casa complicou a vida do Leão, que encara São Paulo e Vasco nas próximas rodadas.

Buscando o equilíbrio dos setores da equipe, o técnico Vágner Mancini resolveu escalar Moacir ao lado de Tobi e Rivaldo. A mudança deu mais consistência ao meio de campo, entretanto, em alguns momentos os atletas batiam cabeça em pequenos erros de posicionamento. Aos poucos, esses espaços passaram a ser ocupados pelo Atlético-GO, que cresceu na partida. Apesar do volume, o Dragão não chegava a assustar Magrão e aos poucos, a tranquilidade leonina foi restabelecida.


Mesmo jogando com três atacantes, os rubro-negros tinham dificuldade em trabalhar as jogadas para que a bola chegasse com qualidade à frente. A velocidade, principal caracterítica do time, parecia ter abandonado o Leão. Quase sonolenta, a partida só empolgou no último lance do primeiro tempo, em uma boa cobrança de falta de Gilberto, que obrigou Márcio a defender em dois tempos. As vaias da torcida na descida para o vestiário foram o reflexo da impaciência com o mau rendimento leonino.

Helder Tavares /DP/D.A Press

Ainda que Mancini não tenha promovido nenhuma mudança no intervalo, a reação dos torcedores parece ter surtido efeito. O time voltou mais aceso para o segundo tempo, pressionando a saída de bola adversária e trocando passes com mais eficiência. Aos sete minutos, Cicinho chegou a balançar a rede de Márcio aproveitando cruzamento de Gilberto, mas como estava impedido, teve o gol anulado.

Dentro de campo, os rubro-negros aplicavam as mudanças de esquema que haviam trabalhado ao longo da semana. E quando Henrique entrou na vaga de Marquinhos Gabriel, o Sport passou a atuar no 3-5-2, com Tobi formando a zaga ao lado de Diego Ivo e Ailson. Recuado para a meia, Felipe Azevedo assistia o ataque que era completado por Gilberto. Apesar do bom volume de jogo, a ansiedade atrapalhava o Sport, que não conseguia conectar as jogadas ofensivas. Irritada com o desempenho do time, parte da torcida voltou a pegar no pé do técnico Vágner Mancini, eleito o culpado pelo empate.


Sport
Magrão; Cicinho (Felipe Menezes), Bruno Aguiar (Diego Ivo), Ailson e Reinaldo; Tobi, Rivaldo, Moacir, Felipe Azevedo e Marquinhos Gabriel (Henrique); Gilberto. Técnico: Vágner Mancini.

Atlético-GO
Márcio; Marcos, Reniê (Gustavo), Gabriel e Bruno (Rafael Cruz); Mariano, Ernandes, Joilson (Diogo Campos), Wesley; Ricardo Bueno e Patric. Técnico: Jairo Araújo.


Local: Ilha do Retiro.
Árbitro: Wagner Reway (Asp Fifa-MT)
Assistentes: Carolina Romanholi Melo (Asp Fifa-CE) e Gean Carlos Menezes de Oliveira (RR).
Cartões amarelos: Rivaldo (S), Gabriel e Marcos (A).
Público: 14.571.
Renda: R$ 116.275,00.

Celso Ishigami - Diario de Pernambuco

Nenhum comentário: