terça-feira, 28 de agosto de 2012

Caio Junior pede demissão do Bahia



O Bahia disputará o segundo turno da Série A do Campeonato Brasileiro com um terceiro treinador: nesta segunda-feira, 27, Caio Júnior pediu desligamento do clube.
Segundo nota oficial divulgada pelo técnico através do seu site oficial, o que motivou a saída do treinador seriam "assuntos estritamente familiares". Informações indicam que Caio gostaria de acompanhar um filho, menor de idade, que vai morar nos Estados Unidos.
Com a vaga de treinador em aberto, começam as especulações sobre quem substituirá Caio Júnior. O nome mais forte é o do técnico Jorginho, ex-técnico do Atlético-PR, que no ano passado foi campeão da Série B do Campeonato Brasileiro com a Portuguesa. Outro nome é o de Joel Santana, que em 2011 trabalhou no Bahia e ajudou a equipe a fugir da zona de rebaixamento.
Contratado no dia 20 de julho para substituir Paulo Roberto Falcão, a "era" Caio Júnior no Bahia durou pouco mais de um mês. Foram dez partidas à frente do Esquadrão, com dois triunfos, três empates e três derrotas pela Série A e mais duas derrotas pela Copa Sul-Americana. Seu aproveitamento foi de 30% dos pontos.
Em nota oficial, o Esporte Clube Bahia agradeceu aos serviços prestados por Caio Júnior e não se pronunciou sobre o prazo para contratação de um novo treinador. Se nada acontecer, o tricolor terá o auxiliar Eduardo Barroca como treinador interino diante do Santos, na partida da quarta-feira, 29, pela abertura do segundo turno da Série A.
Leia a nota oficial do treinador sobre seu desligamento do Bahia:
"Quero comunicar que em função de assuntos estritamente familiares que dificultariam a minha presença no Clube com totais condições de executar o meu trabalho, em comum acordo com a direção do Bahia decidi deixar o comando técnico da equipe.
Agradeço ao presidente Marcelo Guimarães Filho, o diretor de futebol Paulo Angioni, a comissão técnica e os jogadores pela compreensão, e a torcida do Bahia pelo apoio nesses oito jogos que estive à frente da equipe.
Aceitei o desafio de dirigir o Bahia para mantê-lo na Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro. Assumi na última colocação e o deixo fora da zona de rebaixamento. Sei que o time tem que evoluir para afastar de vez esse perigo e estarei torcendo para que isso aconteça.
O Bahia perde um treinador, mas ganha um torcedor".

A Tarde

Nenhum comentário: