sábado, 8 de setembro de 2012

Andrés contraria Mano e aprova vaias da torcida



A seleção brasileira bem que tentou, mas não teve como minimizar as vaias vindas das arquibancadas do Morumbi, nessa sexta-feira (7), depois do magro 1 a 0 sobre a África do Sul. Enquanto o técnico Mano Menezes dizia que os protestos que refletiram no resultado, o diretor da CBF Andrés Sanchez até aprovou as manifestações.

Para o treinador, o time não mostrou o seu melhor muito devido a forte pressão dos torcedores paulistanos. Mais do que isso, pediu para paciência para o torcedor pernambucano, no amistoso contra igualmente modesta China, na segunda-feira (10), no Arruda, em Recife.

— Gostaria que o ambiente dentro do nosso país fosse um pouco mais favorável. A falta de uma tranquilidade maior atrapalhou um pouco. A gente persistiu da maneira que foi possível fazer

Andrés já previa um comportamento hostil da torcida. O diretor de seleções da CBF apenas lamentou o pedido por Luís Fabiano, que sequer foi convocado, no lugar de um desastroso Leandro Damião.

— Infelizmente a gente sabe que jogar em São Paulo ou no Rio de Janeiro é assim, a exigência é maior. Ao mesmo tempo, é bom para a seleção ir se acostumando com a pressão. Não foi um jogo que todo mundo queria, mas a vitória é sempre importante. Todo jogo para esse time é importante.

Mano Menezes assumiu a seleção brasileira em julho de 2010 com a ideia de renovar o time que havia fracassado na Copa. Em busca do inédito ouro olímpico, testou inúmeros jogadores jovens, que ainda não formaram uma base sólida para suportar a pressão de disputar um Mundial em casa.

R7
Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta

Nenhum comentário: