domingo, 9 de setembro de 2012

Náutico é derrotado pelo Botafogo



O Náutico voltou a cumprir sua dolorosa rotina de tropeços fora de casa. Na tarde deste domingo, caiu diante do Botafogo, no Engenhão. O placar adverso de 3 a 1 foi fruto da apatia no primeiro tempo e das chances desperdiçadas no segundo. O time carioca só fez por merecer o resultado na primeira etapa. Na segunda, limitou-se a tentar administrá-lo. Andrezinho achou o terceiro gol já nos acréscimos. O resultado mantém o Timbu em 11º lugar com 28 pontos. O Botafogo pula para 5º, com 37. Já são três rodadas consecutivas sem vitória alvirrubra.

Jogo - A verdade é que o Botafogo nem precisou forçar para chegar ao gol. Bastou o primeiro ataque. A primeira descida de Andrezinho pela direita. O primeiro cruzamento para a área. A primeira finalização. Elkeson, de letra, deixou Gideão vendido no lance. Golaço. Com apenas 54 segundos de bola rolando. Ducha de água fria  nas pretensões de Alexandre Gallo e todos os alvirrubros.
O decorrer do primeiro tempo voltou a expor a fragilidade do Náutico longe dos Aflitos. Sem Kieza, a situação fica ainda mais complicada. Desfalque por lesão, o artilheiro foi substituído por Dimba, recém-contratado junto ao Santos. Ao lado de Araújo e Rhayner, o atacante pouco produziu na primeira etapa, assim como todo o setor ofensivo alvirrubro.
As bolas paradas de Souza foram praticamente as únicas opções de ataque. Numa delas, Ronaldo Alves subiu bem de cabeça e acertou o travessão. Rhayner, Lúcio e Souza ainda tentaram algumas jogadas lá na frente, sem sucesso. Do outro lado, o Botafogo soube aproveitar a liberdade dada pelos marcadores alvirrubros.  
Aos 19, Seedorf quase ampliou o placar após bela triangulação com Elkeson e Andrezinho. Aos 33, Andrezinho viu bem a entrada de Elkeson pelo meio da área do Náutico. O autor do primeiro gol voltou a mostrar frieza . Com um drible seco, deixou Jean Rolt sentado e, em seguida, bateu no canto de Gideão. O Botafogo desceu para o intervalo tranquilo até demais. Com 2 a 0 no placar mesmo sem apresentar um grande futebol.
Josa, ex-Salgueiro, na vaga de Dadá, perdido em campo, foi a mudança do Náutico para o segundo tempo. O cenário obscuro clareou aos 7 minutos, quando o árbitro viu um pênalti inexistente de Gabriel em Souza. Na cobrança, Araújo deslocou Renan com categoria. O gol alimentou a esperança de um bom resultado. E ela permaneceu até os últimos minutos. As chances desperdiçadas por Araújo e Rogério frustraram a expectativa dos alvirrubros. No fim, Andrezinho aproveitou um contra-ataque mortal e deu números finais ao jogo.

Botafogo 3

Renan; Lucas (Gilberto), Brinner (Vinícius), Dória e Lima; Gabriel, Jadson, Andrezinho, Seedorf e Fellype Gabriel (Cidinho); Elkeson. Técnico: Oswaldo Oliveira.

Náutico 1

Gideão, Patric, Ronaldo Alves, Jean Rolt e Lúcio; Elicarlos, Dadá (Josa), Souza (Kim) e Rhayner; Araújo e Dimba (Rogério). Técnico: Alexandre Gallo.

Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Bruno Boschillia (PA) e Thiago Gomes Brígido (CE)
Gols: Elkeson (aos 52 seg e aos 33 min do 1º T ); Andrezinho (aos 46 do 2º T) e Araújo (de pênalti, aos 9 min do 2º T)
Cartões amarelos: Patric, Josa
Cartões vermelhos:
Público: 18.348
Renda: R$ 308.140

Lucas Fittipaldi/SuperEsportes
Foto: Rudy Trindade/AE

Nenhum comentário: