sábado, 27 de outubro de 2012

Com falhas de Saulo, Sport toma 4 do São Paulo



O mesmo palco, o mesmo enredo, outro filme de terror. Nada de Jason. Na noite deste sábado, o espírito imortal passou longe da Ilha do Retiro. A derrota para o São Paulo lembrou muito a goleada sofrida para o Atlético-MG, no primeiro turno. Depois de abrir o placar com Gilberto, o Sport acabou goleado. Desta vez por 4 a 2 - o Galo venceu por 4 a 1. Em vez de Bernard, Lucas foi o carrasco do dia. Autor de três gols, o meia freou a reação rubro-negra no Campeonato Brasileiro. O resultado mantém o Leão na zona de rebaixamento, agora a 4 pontos do Bahia, que empatou em casa com o Grêmio. Restam cinco rodadas. E os dois poximos compromissos serão fora de casa, contra Vasco e Figueirense. Do outro lado do abismo, o São Paulo se consolida cada vez mais na zona de classificação para a Libertadores. A missão do Sport segue ingrata, mas já esteve pior.

Jogo - Aos 14 minutos, a Ilha do Retiro veio abaixo. Cicinho cobrou escanteio e Gilberto, de cabeça, fuzilou as redes de Rogério Ceni. Em êxtase, o torcedor rubro-negro parecia não acreditar em um início de jogo tão promissor. Por alguns minutos, o Sport se viu a apenas 1 ponto do Bahia. Não demorou muito. Aos 17, Lucas escapou pela intermediária rubro-negra e apresentou seu cartão de visitas. Chutaço de longa distância, fora do alcance de Saulo. Apesar da chiadeira de parte da torcida do Sport, o goleiro praticamente não teve chances de defesa.

A lambança de Saulo ainda estava por vir. Aos 29, o goleiro deu todos os motivos para ser criticado. Após um cruzamento despretensioso, ele acabou soltando a bola nos pés de Lucas. O craque tricolor só teve o trabalho de escorar. Banho de água fria nos rubro-negros. Silêncio na Ilha do retiro. A imagem de Magrão certamente veio á mente de cada torcedor do Sport.

O segundo gol desestabilizou. Quando  o time tentava assimilar o golpe e iniciar a reação, o sistema defensivo vacilou. Aos 33, Rivaldo, Ailson e novamente Saulo viabilizaram o terceiro gol do São Paulo. Em outro lance despretensioso, Rivaldo acabou se enroscando com Cortez e a bola encobriu Saulo, adiantado. Pronto. Em menos de 20 minutos, o torcedor rubro-negro experimentou um misto de emoções contraditórias. Entre o gol marcado e os três tomados, passaram-se apenas 19 minutos. Apesar de incrédulo, o torcedor do Sport aplaudiu seus jogadores na descida para o vestiário.

Se havia um pingo de esperança, ela foi desfeita aos 13 minutos da segunda etapa. Numa descida em alta velocidade, Lucas, sempre ele, tabelou com Luis Fabiano e saiu cara a cara com Saulo. Estática, a defesa rubro-negra só observou o meia escolher o canto e correr para comemorar o seu terceiro gol, o quarto do São Paulo. Mesmo com quase meia hora de jogo pela frente, parte da torcida rubro-negra começou a deixar o estádio. Não havia muito mais o que fazer. Àquela altura, vai mais a pena secar o Bahia. Hugo ainda teve tempo de converter o pênalti sofrido por Gilberto e diminuir a vantagem tricolor, aos 34 minutos.
Sport 2

Saulo, Cicinho, Bruno Aguiar, Ailson e Renê; Tobi, Rivaldo (Marquinhos Gabriel), Rithelly (Moacir) e Hugo; Felipe Azevedo e Gilberto (Sandrinho). Técnico: Sérgio Guedes.

São Paulo 4

Rogério Cêni; Paulo Miranda (Cícero), Rafael Tolói, Rodolpho e Cortês; Denilson (Casemiro), Wellington, Maicon (Ademilson) e Lucas; Douglas e Luís Fabiano. Técnico: Ney Franco.

Local: Ilha do Retiro
Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Kléber Lucio Gil  (SC) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Gols: Gilberto (aos 14 do 1 T); Lucas (aos 1 T, 29 do 1 T e 13 do 2 T); Rivaldo - contra (aos 33 do 1 T) e Hugo (aos 34 do 2 T)
Cartão amarelo: Rithelly, Tobi (Sport); Denilson, Douglas e Cortez (São Paulo)
Público: 31.599
Renda: R$ 370.110,00

Lucas Fitipaldi - Diario de Pernambuco


Nenhum comentário: