sábado, 27 de abril de 2013

TJD/PE julgará representações contra dirigentes de Sport e Náutico


Foi marcada a data do julgamento do presidente Paulo Wanderley, do Náutico, e dos dirigentes Marcos Amaral e José Alves, do Sport. A sessão será na próxima terça-feira, dia 30 de abril, a partir das 18h, e será realizada pelo Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva de Pernambuco (TJD/PE).
 
Os réus foram denunciados após uma representação da Federação Pernambucana de Futebol por causa de reclamações feitas contra a arbitragem no Campeonato Pernambucano. A sessão foi marcada anteriormente para o dia 8 de abril, mas foi adiada.

Entenda o caso:

Sport

Após o empate de 2 a 2 contra o Ypiranga, no dia 24 de março, no estádio Otávio Limeira, os dirigentes identificados como Marcos Amaral e José Alves teriam desrespeitado o árbitro. No documento apresentado é relatado que Marcos Amaral teria dito: “Fomos garfados aqui. O quadro de árbitro é pífio, pequeno”.

Já José Alves teria dito: “Vamos peitar a Federação (...) esse bandeirinha é um safado”. E ainda: “Esse safado desse bandeirinha que deu a falta (...) é um safado. Émerson é outro”.

As denúncias foram em decorrência de notícias que saíram após o jogo, nos veículos de comunicação. As condutas dos dirigentes serão julgadas com base no artigo 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que diz ser infração “ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto”. Os réus podem ser punidos com multa que varia de R$ 100 a R$ 100 mil e mais suspensão entre 15 e 90 dias.

Além do 243-F, Marcos Amaral foi incurso ao artigo 243-B do CBJD, por "constranger alguém, mediante violência, grave ameaça ou por qualquer outro meio, a não fazer o que a lei permite ou a fazer o que ela não manda”, e a multa prevista é de R$ 100 a R$ 100 mil.

Náutico

Assim como os dirigentes do Sport, o presidente do Náutico, Paulo Wanderley, também teve uma representação contra ele da Federação Pernambucana de Futebol, por conta de uma crônica do jornalista Rafael Brasileiro, do Diário de Pernambuco, que saiu após o clássico contra o Sport, em que o Timbu perdeu por 2 a 1, no dia 18 de março. Na matéria, o presidente do Timbu prometeu tomar uma atitude se caso o árbitro Sandro Meira Ricci fosse escalado para apitar os jogos do time. A conduta do dirigente será julgada com base no artigo 243-B do CBJD.

Justiça Desportiva

Nenhum comentário: