quinta-feira, 23 de maio de 2013

'Briga' nos bastidores pode deixar jogos da Série B sem televisão

A Série B começa nesta sexta-feira com quatro partidas.

Além do retorno do Palmeiras, rebaixado no ano passado, a competição terá o seu pontapé inicial dado em meio a uma situação que gera expectativa nos bastidores.

Essa pode ser a primeira vez na história que um campeonato organizado pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) não reúne a assinatura de todos os times para a sua transmissão na TV.

Até o fechamento da matéria, o América-MG se negava a firmar contrato com a Rede Globo, detentora dos direitos, e tentava negociar um aumento nos valores inicialmente oferecidos pela emissora de R$ 3 milhões – com os impostos, ele fica em R$ 2,7 milhões – para autorizar a cobertura de seus jogos no estádio Independência.

Caso a situação não seja modificada, até 19 partidas podem ficar de fora da televisão nesta temporada.

O presidente do América-MG, Marcus Salum, conduz as conversas desde o fim de fevereiro e promete não esmorecer em sua tentativa de barganhar melhores condições na Série B.

“Eles (Rede Globo) acham que não podem dar nada para ninguém. A gente não tem contrato só com a Globo. A gente tem mais de um contrato - Mineiro, Sul-Minas e Copa do Brasil. Quando a gente está numa discussão, tem que avaliar o que for melhor e eles analisarem a importância do América-MG”, afirmou Salum ao ESPN.com.br.

Ao todo, 17 clubes já fecharam acordo para terem suas partidas transmitidas.

O presidente da CBF, José Maria Marin, ressaltou em encontro realizado em fevereiro, na sede da entidade, o crescimento de quase 70% nas cotas, saltando de R$ 1,8 milhão para R$ 2,7 milhões nesta temporada – o pagamento da primeira das oito parcelas de R$ 337.500 mensais estava previsto para ser feito neste mês.

As exceções na categoria e que ficam de fora da mesa de negociação são Palmeiras e Sport, que firmaram compromisso com a emissora carioca em outras circunstâncias, ao fim do Clube dos 13.

Depois de viajar até Rio de Janeiro e São Paulo para esgotar as tratativas, Marcus Salum admite a ansiedade com o imbróglio e que pode ficar, mesmo, sem assinar o contrato.

“Os clubes precisam de todos os recursos para disputar a Série B. Se você me perguntar se eles são suficientes, eu diria que não. A gente tem que lutar pelo melhor para nossa equipe. Não contamos com essa possibilidade (de ficar sem a cota). Mas se a gente tiver que disputar assim, vamos avaliar”, concluiu.

O América-MG estreia na segunda divisão contra o Guaratinguetá, fora de casa, no sábado. O primeiro jogo do time como mandante será na próxima terça-feira, diante do Figueirense.

Marcus Alves/ESPN

Nenhum comentário: