terça-feira, 9 de julho de 2013

Confirmada a intervenção no Bahia. Marcelo Guimarães Filho está fora do tricolor


Pela segunda vez, Marcelo Guimarães Filho deixa o cargo de presidente do Bahia. O retorno do interventor Carlos Rátis foi anunciado oficialmente pelo juiz Paulo Albiani no final da tarde desta segunda-feira (8) e, na manhã desta terça-feira (9), confirmado pela desembargadora Lisbete Maria de Almeida.

Além do interventor Carlos Rátis, o juiz informou que o responsável pelo Esporte Clube Bahia contará com uma equipe de apoio formada pelos advogados Alexandre Valente Derschum, Danilo Pessoa de Souza Tavares e Cyrano Vianna Neto. Ambos, exceção do escolhido para ser interventor, torcem pelo tricolor.

Mineiro, torcedor do Atlético Mineiro, Carlos Rátis é professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Faculdade Baiana de Direito e exerce a função de Diretor-Geral da Escola Superior de Advocacia da Bahia.

Não é a primeira vez que Carlos Rátis é nomeado para ser interventor do processo envolvendo o Esporte Clube Bahia. Em março de 2012, após decisão do juiz Paulo Albiani em suspender as eleições realizadas pelo clube, o advogado passou pela mesma situação.

O período, porém, foi curto. Rátis exerceu a função por apenas três dias porque, através de um efeito suspensivo concedido pelo desembargador Gesivaldo Brito, Marcelo Guimarães Filho retornou à presidência.

Como foi o julgamento

Pontualmente marcado para às 8h30, o julgamento envolvendo o processo de intervenção do Esporte Clube Bahia atrasou. Quarenta minutos depois, às 9h10, foi dado início o da sessão. O primeiro a falar foi o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido também como "Kakay", responsável pela defesa da atual gestão do tricolor.

Na sustentação oral,  defesa questionou a finalidade da ação promovida pela ex-conselheiro Jorge Mais. Foram quinze minutos. Mesmo tempo concedido para o advogado Pedro Barachisio, responsável pelo processo inicial sobre a intervenção.

Em seguida foi a vez da desembargadora Lisbete Maria de Almeida anunciar a decisão sobre o julgamento envolvendo a ação cautelar que deu efeito suspensivo à apelação já interposta pelo Esporte Clube Bahia contra sentença anteriormente definida. No caso, a intervenção. O discurso, que durou cerca de vinte minutos, resultou no voto favorável a intervenção que, de acordo com a decisão do juiz Paulo Albiani, terá o advogado Carlos Rátis como responsável pela administração temporária do Esporte Clube Bahia.

O segundo a votar foi o Dr. Edmilson Jataí. Posição também favorável ao processo de intervenção.

Bahia Notícias
Foto: A Tarde

Nenhum comentário: