quinta-feira, 11 de julho de 2013

Daniel Freitas revela pressão do colegiado alvirubro e sai frustrado do Náutico


Daniel Freitas não é mais superintendente de futebol do Náutico. O dirigente foi avisado da decisão ontem (10/07) à noite pelo presidente do clube Paulo Wanderley. Daniel disse que já esperava a decisão, mas acreditava que ainda poderia contribuir com o trabalho no clube. Ele resumiu o sentimento como frustração, por ter de interromper o trabalho no meio, e alívio por não ter mais de suportar a pressão por parte do colegiado de futebol, composto por nada menos que 17 dirigentes que atuam de forma direta no dia-a-dia do clube.

  “Infelizmente não foi possível dar continuidade ao trabalho que estava desenvolvendo por uma incompatibilidade na metodologia de trabalho com o colegiado. Saio com a sensação de frustração por não ter conseguido implantar aquilo que considero ideal no modelo de gestão do futebol atual. Por outro lado, há o alívio porque havia muita pressão do colegiado pela minha saída nas últimas semanas. Agradeço ao presidente Paulo Wanderley que foi muito correto comigo o tempo todo e agora vou dar sequencia na minha carreira em outro lugar”, disse Daniel, que tem MBA em gestão esportiva, trabalhou nas categorias de base do Botafogo e iniciou como executivo de futebol no Vasco.

 Daniel Freitas fez questão de agradecer também aos diretores Armando Ribeiro, Carlos Hunka, Alexandre Homem de Melo, ao vice presidente financeiro e administrativo Eduardo Morais e ao presidente do conselho deliberativo Berillo Júnior.

Nenhum comentário: