domingo, 4 de agosto de 2013

Vitória derruba Lusa no Barradão


Desta vez, a Portuguesa não pode reclamar da sorte. Após sofrer gols e deixar escapar vitórias nos minutos finais das últimas partidas do Campeonato Brasileiro, a Lusa jogou melhor e cansou de perder gols, principalmente na primeira etapa, neste domingo, no Barradão. Resultado: Derrota por 2 a 1, de virada, para o Vitória, que volta a triunfar após três rodadas e mantém contato com o G-4 do Brasileirão.

A Lusa dominou completamente a primeira etapa. Porém, esbarrou no goleiro Wilson e na falta de pontaria. No segundo tempo, chegou a abrir o placar com Cañete, mas acabou castigada, novamente, com um gol no fim. Danilo Tarracha, aos 26 minutos, e Fabrício, aos 40 da segunda etapa, viraram o jogo com requintes de crueldade. Agora, a equipe paulista soma seis partidas sem vitórias na competição nacional.

Com o resultado, o Vitória sobe para a sexta posição, com 18 pontos, apenas um a menos que o Internacional, quarto colocado. A Portuguesa, por sua vez, segue em posição delicada e ocupa a 19ª posição, com somente oito pontos.

Agora, as duas equipes voltam a campo na próxima quarta-feira, em jogos válidos pela 12ª rodada. O Vitória recebe o Fluminense, às 19h30 (de Brasília), no Barradão, enquanto a Portuguesa viaja a Brasília para encarar o Flamengo, às 21 horas, no Mané Garrincha.

O Jogo - A partida aconteceu no Barradão, mas, pelo primeiro tempo, parecia estar sendo disputada no Canindé. Contando com a experiência de Souza e a qualidade Moisés, a Portuguesa controlou completamente a primeira etapa e só não construiu uma goleada por causa do goleiro Wilson e da incompetência nas finalizações.

A primeira grande chance surgiu aos 17 minutos. Gilberto aproveitou indecisão da zaga baiana, invadiu a área e bateu cruzado. Rasteira, a bola passou muito perto da trave esquerda de Wilson, que não alcançaria. Três minutos depois, ele não só alcançou como também começou a salvar o Vitória. Souza recebeu cruzamento da esquerda, e, livre, bateu forte de pé esquerdo. A bola parecia entrar tranquila no canto direito de Wilson, que saltou e realizou uma grande defesa.

Aos 24, novamente Souza foi brecado pelo arqueiro rubro-negro. Em cobrança de falta perfeita por cima da barreia, o goleiro saltou de novo no canto direito para fazer mais uma bela intervenção. Acuado, o Vitória não conseguia manter a posse de bola e falhava constantemente na defesa.E foi assim que a Lusa voltou a assustar.

Aos 31, Moisés roubou a bola no campo de ataque, invadiu a área e, cara a cara com Wilson, deu uma cavadinha tirando do goleiro. A bola, caprichosamente, triscou a trave direita e saiu pela linha de fundo.
Vendo seu time ser completamente dominado em pleno Barradão, Caio Júnior não esperou sequer o intervalo para mexer no time. Ainda aos 34 minutos, sacou o lateral Daniel Borges e colocou Leílson. A equipe não melhorou ofensivamente, mas parou de sofrer na defesa. Assim permaneceu até alguns refletores do Barradão se apagarem, aos 45 minutos, encerrando a primeira etapa antes ainda antes dos acréscimos. O Vitória ia para os vestiários com apenas 43% de posse de bola e nenhuma finalização.

No intervalo, Caiu Júnior voltou a mudar o time, substituindo Renato Cajá por Camacho. No entanto, o time seguiu com a mesma (falta de) atitude. Aos três minutos, Moisés recebeu livre pela ponta esquerda e, frente a frente com Wilson, chutou mal, mandando à esquerda da meta baiana. Foi somente aos nove que o Vitória arriscou sua primeira finalização. Maxi Biancucchi aproveitou rebote dentro da área e bateu mascado. Lentamente, a bola passou por Lauro e foi para fora, muito perto da trave direita.

Após o susto, veio, enfim, o merecido gol da Portuguesa. Aos 17 minutos, Victor Ramos errou na saída de bola, e, após outro milagre de Wilson em cabeçada de Souza, Cañete chutou forte no rebote, vencendo o arqueiro baiano: 1 a 0 Lusa. O Vitória seguiu impotente, e a o triunfo da Lusa parecia garantido. Foi aí que apareceu o artilheiro do Campeonato Brasileiro, Maxi Biancucchi. Aos 26, o atacante argentino fez grande jogada pela direita e cruzou para a área. A bola passou por todo mundo e sobrou para Danilo Tarracha,q eu dominou no peito e fuzilou para o fundo do gol de Lauro: 1 a 1.

O jogo seguiu muito disputado, até que, aos 40 minutos, veio o castigo para a Lusa. Fabrício cobrou falta com veneno, a bola desviou na barreira e traiu o goleiro Lauro, que não conseguiu alcançar: 2 a 1 Vitória. No fim, a Lusa ainda ensaiou uma pressão, mas não conseguiu buscar o empate.

Esporte Interativo
Foto: Gazeta

Nenhum comentário: