quarta-feira, 28 de junho de 2017

A paz do Náutico

O sentimento da paz, é uma proposta que muitos buscam, mas poucos conquistam.

Começo esse texto assim, pois vislumbra-se uma possibilidade de trégua na política alvirubra.

O torcedor do Náutico já está acostumado com as divisões e as intrigas no seio das suas hostes. O que acabou prejudicando muito, até as últimas campanhas do clube nas mais variadas competições. Setores do CNC se digladiando nos bastidores eram situações corriqueiras até bem pouco tempo.

Entretanto, no decorrer desta semana uma notícia alvissareira chegou até nós. A possibilidade de paz entre os mais variados líderes timbus.

Com a eleição que vai ocorrer por aclamação, Edno Melo será o futuro presidente. Mas, antes de assumir o cargo será empossado vice-presidente financeiro da atual gestão, enquanto que o seu vice Diógenes Braga passa a fazer parte da direção de futebol. O que seria uma espécie de transição entre as gestões.

Penso que era tudo o que torcedor do Náutico sonhava nesse instante. A possibilidade da pacificação. Pelo menos é o que ficou acordado entre as partes.

Imagina-se um clima melhor para se trabalhar. Ter a tranquilidade necessária para resolver os problemas, que não são poucos. Compreensão e tolerância de quem não faz parte da direção.

Contudo, a paz não é tão fácil de se manter. Exige justamente compreensão, tolerância e principalmente afastar as vaidades. Eis o drama maior em qualquer situação que se busque um esforço maior de união.

Ficaremos na torcida. Tomara que essa iniciativa dure o máximo de tempo possível. E que o timbu possa ter esse mar mais calmo para atravessá-lo e fugir da tormenta.


Nenhum comentário: